domingo, 26 de outubro de 2014

Il Grande Bugiardo




Era uma vez um grande bugiardo ,ele era conhecido de todos por suas patranhas, sempre regada a famosa “51” .Uma ocasião ,o grande bugiardo foi  a Itália se instruir  com velho “mestre “Antônio Gramsci  na Arte de corromper e enganar ,pois como mentiroso ele era ardiloso e enganador .
Ele disse:-“Antonho” ,posso te chamar de “tonho”,né?Fica mais carinhoso.É assim que chamamos Antonho lá no Brasil que eu vivo.Pois é “Tonho” todos  “ nois estamo” cansado de “sabê” que esse sistema comunismo já está esgotado, não deu certo lá Rússia,mas  lá no Brasil  tem uns  “idiotas intelectuais úteis” ainda remanescentes do anarquismo italiano,que acreditam ou não “ni mim” mas  eles torcem sempre para que nada “dê” certo,talvez por isso torçam por  mim.Mas eu preciso de uma “instrução” de como aplicar a  os postulados “della menzogna”,da tua cartilha lá no Brasil.Pois eu me orgulho de ter estudado apenas até a cartilha e “vô sabê aplicá” a tua cartilha lá no Brasil,muito bem. Eu só preciso de umas diretrizes de como fazer.
-Tonho,tu pode me ajudá”?
Gramsci,olhou bem pra ele  e disse:-Sente caro,io non so si tu sei la persona indicata per questo,ma prima da tutto parla un po più lontano da me ,perche il tuo odore de grappa,mi  lascia ubbriaco.
O Grande Bugiardo disse :-Tonho,se eu “subesse que tu gostava de grappa,tinha trazido uma 51 do Brasil pra ti.”Disculpa”Tonho,mas 51 é muito melhor do que a grappa.
Scusa,Grande Buggiardo del Brasile io so che tu sei menzognero,ma io farò ,prima da tutto una passeggiata,insieme a te:-andiamo alla Piazza dela “Bocca della verità” e la Bocca dirà per noi ,si tu non sei un grande bugiardo .Se non sei  “La Bocca della Verità” và ti ammazare la mano.,per questo drovai  pensare e domandare la stessa cosa, capisci?
O Grande Bugiardo do Brasil,o mais terrível engano que já surgiu nessa terra. não acreditava em tais sortilégios e ia provar mais uma vez que a terra era retangular ou quadrada,e que se ela ,a  boca da verdade, estivesse de fato em Roma ,mesmo representado a verdade,a verdade está unicamente num lugar e lá no Brasil 14 mil km longe ,ela não o alcançaria.Portanto ,até a ela, ele ia enganar.A própria “boca da Verdade” seria enganado pelo o “Grande Buggiardo e Menzognero ”do Brasil
Vídeo sobre o clima da terra explicado pelo Buggiardo: https://www.youtube.com/watch?v=UpoI0fmLEdg

Ele disse:-Certo Tonho,”vamo lá”.
O Grande Bugiardo,colocou a mão na boca da verdade e perguntou ao oráculo.Formulando as duas perguntas:
1-Não é verdade que eu sou um grande mentiroso?
2-Não é verdade que vou ajudar ao povo brasileiro,implantando o comunismo?
Quando ele tirou a mão,faltava  um dedo.
Gramsci,felicitou  ao “Grande Bugiado” dizendo:C’ è próprio  vero que tu sei  bugiardo,fino la bocca della Verità  sbaglia com te.
Mas como , se eu perdi um dedo??
Ma,um dito,solo?


Questo è forse per ricordarte sempre de dire: “Non So!Non ho mai visto! O cosa  che a deto ancora,che  tu aiuterà il Brasile,ecc ,ecc,ecc. O qui sà ,ancora,si non hai pensato  da ingannare  la propia verità??
O qui sà ,questo è per dire que aiutarà all tuo poppolo ou forse per non rubbare tanto.

E assim o  carismático e Grande Buggiardo e Menzognero  retornou ao Brasil e tem aplicado desde então arte gramisciana  na  cartilha de enganar,mentir,fraudar e sempre afirma:Não sei,não vi. 

JATeixeira

Mais sobre a Bocca della Verità:
http://www.italyguides.it/it/roma/monumenti/antica_roma/aventino/santa_maria_in_cosmedin/bocca_della_verita/bocca_della_verita.htm

Il Dio Oceanus e La Bocca della Verità





A Boca da Verdade é uma imagem, esculpida em mármore Pavonazzo, de um rosto semelhante ao homem, localizada no pórtico da igreja de Santa Maria em Cosmedin em Roma, Itália. A escultura é  parte de uma antiga fonte romana do primeiro século, ou talvez uma tampa de bueiro, retratando um dos vários deuses  possíveis, provavelmente Oceanus. A maioria dos romanos acreditam que o "Bocca" representa o antigo deus do rio Tibre.

O mais famoso característica da boca, no entanto, é o seu papel como detector de mentiras. A partir da Idade Média, acreditava-se que se alguém disse uma mentira com a mão na boca da escultura, seria mordido. A peça foi colocada no pórtico da Santa Maria em Cosmedin no século 17. Esta igreja é também a casa das supostas relíquias de São Valentim

É uma singularidade ímpar de como uma simples boca de bueiro tenha se convertido em uma dos monumento mais fotografados de Roma.

A  máscara é conhecida em todo o mundo por uma lenda na qual os mentirosos que lhe põe a mão na boca sofrem uma grande  mordida.E durante a  idade média,os guias mediais para os turista ou peregrinação da época lhe atribuíram  o poder de oráculo

As crendices ,ainda,lhe atribuíram o poder de demonstrar a verdade,por isso BOCA da VERDADE :virtude que demonstrava quando alguma mulher fosse infiel ao marido .

Acredita-se que essa lenda originou-se  do comportamento astuto de uma mulher,que,acusada de infidelidade pelo marido,submeteu-se a provar na “Bocca della Verità”

Ocorre que quando se aproximavam da  máscara  de pedra,de repente um jovem,que realmente seu amante a abraça e a beija e ela,naturalmente,finge não reconhecê-lo e tem por louco e cololocando a  mão na Boca da Verdade,diz:

-“Juro que nehum homem,a não ser meu marido e o jovem que agora me beijou,nunca fui tocada!”

Tida como inocente. por ter tirado a mão  incólume é com satisfação absolvida pelo marido.

A Boca da Verdade, por outro lado, saiu desacreditada, e a partir daquele dia não queria mais "expressar-se" e  fechou a boca para punir o próprio perjúrio

Não obstante  a escultura permanece constantemente mencionado entre as curiosidades romanas, em desenhos estampados,se tornando nos séculos local de peregrinação de peregrinos e turistas  curiosos ávidos para experimentar a emoção do risco.


Ela  se celebrizou no mundo após a cena do filme“Vacanze Romane”, onde Gregory Peck, finge para ingênua Audrey Hepburn, que a boca tinha lhe preso sua mão.



quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Trindade:Corpo+ Alma+ Espírito






Conta a lenda que uma ocasião um homem caminhava em um grande campo e observava que alguma coisa vinha em sentido contrário,a distância em se encontrava parecia  grande e assustador monstro,e a proporção que se aproximavam, um do outro,revelava-se ser um homem e se tocarem revelou-se ser seu irmão.

Essa lenda pode ser analisada das mais distintas maneiras , pelos os mais diversos seguimentos que nos encontremos , pelas perspectivas ou ângulos que nos interessarem,mas todos,indistintamente indicam o processo evolutivo.Por exemplo ,se comparada aos  militares podemos associar aos recrutas, graduados e oficiais.Se se comparar as ordens sarcedotais ,pode se revelar nas noviças,diáconas e sacerdotisas .Se se comparar as ordens iniciáticas no aprendiz,companheiro e mestre,ou no ser humano infância,mocidade,velhice:tudo é trino.Pois toda a harmonia e equilíbrio,por mais elementar que seja, se estabelece em um triângulo.E para quebrar a dualidade que separa,temos o terceiro ponto de apoio que confere a solidez, se estabelece no UNO,o LOGOS.


No número UM temos o fulcro,que é o ponto de partida,o pilar inicial do principio de todas as coisas.No número DOIS,segundo pilar, se fundamenta a estabilidade, mas é o número TRÊS,o terceiro ponto de apoio, que nos dá a solidez.O número UM mais o numero DOIS ao invés de se oporem ou contraporem, nos dá  como resultado o número TRÊS ,conferindo:Harmonia da Beleza .o Equilíbrio da Força e a Solidez da Sapiência.Onde toda a Beleza do amor puro,e ingênuo dos primeiros passos,são fortalecidos pela Força daquele que já pode alterar a sua trajetória sem se deixar corromper ou ofuscar e retornar com segurança, a certeza da sua caminhada.Na Força dessa segurança,o aprendizado se consolida para uma  maturidade cujo  vértice  da caminhada é a  sapiência

Vemos ainda nessa trindade os  elementos que nos constituem o nosso Ser:Corpo,Alma e Espírito.
Onde temos no Corpo,o meio material que  acondiciona o Ser.Na Alma a Energia que vivifica o Corpo e favorece o Ser.E o Espírito que representa a parte essencial do nosso Ser
Acreditamos que essa é a ordem do  Propósito:alma+corpo+espírito
Onde a alma é apenas a energia que vivifica a matéria,enquanto o corpo é o habitáculo que a matéria  necessita para ser alojado  e onde dará condições de favorecer ao Espírito as experiências necessária e pertinentes a sua evolução .
O espírito, representa  a identidade espiritual do ser,enquanto o corpo representa a sua identidade material.O espírito é desenvolvido pelo nosso modelar constante, na nossa espiritualização;o corpo sofre alterações inversas.Pois enquanto o nosso espírito cresce  e evolui,o nosso corpo, que é matéria efêmera, se desagrega no envelhecimento e perece .Então a evolução do espírito  decorre a partir do nosso lapidar constante,das nossas escolhas,da nossa purificação como num processo alquímico.Portanto, é preciso que ocorra primeiro um  corpo animado para que o espírito ali presente seja lapidado e não o contrário.Quando esse habitáculo cumpriu sua tarefa de acomodar a energia,  para permitir que o espírito evolua,ele se desagrega como matéria indo sofrer a  ação da decomposição que irá devolvê-lo ao pó de onde se originou:”do pó ao pó”.Liberando assim a energia que conduz o espírito EVOLUÍDO a ascensão.Se esse espírito não cumpriu o propósito para o qual esteve “aprisionado” nessa dimensão, ele deverá entrar em um loop eterno de purificação para que tal ocorra. 


Procuremos usar como simbolismo um automóvel,onde esse veículo representa o corpo,a sua energia de locomoção  a alma ,e o espírito o seu  condutor.O trajeto a ser percorrido  apresenta-se ora íngreme com suas montanhas, ora plano com os seus vales.Deveremos cruzar rios caudalosos , oceanos procelosos,desertos causticantes e florestas densas e torrenciais:Os perigos são imensos e imprevisíveis e se refizermos a viagem muitas vezes,nenhuma será igual a outra,ou mesmo que fosse, a memória será apagada.É como se fosse a primeira vez com novos  obstáculos  .Para cada uma das situações apresentadas teremos que fazer as nossas melhores escolhas ,onde as vezes a razão parece questionar os ditames da intuição do amor, que parece nos soprar no ouvido cauto a melhor saída .Outras vezes, o instinto animal nos guia em ímpetos de ferocidade e violência indomável onde nos deixam marcas e sequelas.As cicatrizes e traumas se acumulam  diante da nossa teimosia.E as tentações ao longo da caminhada nos retarda e nos oferecem mil vantagens,tentam nos desviar e nos corromper.O UNO é o objetivo,é onde devemos chegar, mas os desvios e variáveis são tantos, e  elas reluzem em mil apelos, em apetites bestiais que alteram o nosso senso,confunde o nosso norte e nos desviam  numa cegueira e torpor alienante que Maya nos  prende. É preciso cumprir um ritual nessa viagem singular e de único sentido,onde muitas vezes a oração e a fé se revela não só na arma mais poderosa ao nosso alcance,mas a única de que dispomos e nela se resume  todo o sentido da busca, da ponta do fio da esperança, que nos liga a saída desse labirinto, dessa roda de Samsara,em busca da LUZ.Se o condutor conseguir chegar ao seu destino, terá com prêmio a sua travessia assegurada,Mas,Se, pelo contrário, se deixou ofuscar pelo brilho fosforescentes da pirita que brilha,dos doces  encantos e cantos das sereias que são as trápolas do caminho,irá naufragar tantas vezes percorra esse caminho e terá que refazer  a viagem, até conseguir entender o sentido do aprisionamento e onde está a chave dessas algemas que lhe permitirá  soltar-se desse Cáucaso,qual Prometheu, e voltar para casa.
JATeixeira

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Luz e Trevas





Na vida existem coisas que procuramos e outras que nos procuram .Não as escolhemos e nem mesmo a queríamos,mas depois que elas chegam nunca mais seremos os mesmos.
Nesse ponto existem duas soluções:ou fugimos  deixando-as para trás ou paramos e as enfrentamos.
Qualquer solução que escolhermos nos transformará,e todos temos a possibilidade de escolher entre o bem e o mal"
Giorgio Faletti



Essa janela da “alma”é a representação mais antiga dos nossos medos trancafiados nos corredores e labirintos do nosso EU oculto ou manifestado em ações imprevisíveis, num conflito eterno entre consciência e inconsciência, na formação do arquétipo humano .
A luz e as trevas ,representam a nossa própria  ambiguidade,e é essa  a nossa face refletida no espelho existencial que nos assusta,que nos incomoda por não compreendermos , a nós mesmos, o nosso oposto.

Será oposto ou meramente uma das faces obscura e incompreendida do nosso próprio EU,da nossa própria formação?Uma janela da nossa alma em busca de coerência primieva, que transcende e desafia a nós mesmos:tipo:”decifra-me ou devoro-te”?  Onde representa a o  reflexo da nossa própria e incompreendida identidade, como a mesma dicotomia dos primórdios da nossa formação, que numa sucessão de divisões,de mito em mitose, nos origina?
É a mão sinistra relegada pela destra, numa patológica escolha,onde uma não quer saber o que a outra faz.É o rudimentar  desejo inconsciente trancafiado, que desafia a introspecção e se revela unicamente na conveniente  transitoriedade mundana,que como num desafio shakespeareano se interroga :”ser ou não ser;e o que a luz revela, as trevas consome,no eterno jogo de sombras e luz ,conflito eterno de Hórus e Set,onde não existe vencido ou vencedor ,pois representa a si mesmos em momentos distintos: onde a ação e reação são faces do mesmo deus

JATeixeira

O idiota