sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Caráter não se transforma, Aprimora-se




Nós gostamos de pensar nas analogias e estabelecer uma analise comparativa a partir das referências absorvidas, ao longo do aprendizado da vida.Pensemos assim: um Pinus é uma madeira que tem um propósito e um fim,outros como Cedro ,Carvalho entre tantos, tem propósitos e aplicações mais nobres ou diferenciadas.O Pinus não,mas nem por isso, essa madeira merece desprezo.Ele pode ter tido o melhor cultivador,as melhor regas e melhor terreno ,ter sido colhido na época certa e trabalhado pelo o melhor profissional de carpintaria.Mas,continuará sendo um Pinus e não nos dará nada além do fim que a natureza o reservou.Os homens não são tão diversos assim,são frutos da mesma Gaia, têm respostas semelhantes para as mesmas questões.Nenhum mestre vai conseguir moldar um caráter diverso do que a natureza condicionou,pode aprimorar o existente.Portanto,o caráter de um indivíduo apenas demonstra o que a natureza lhe conferiu,não existe meios para torná-lo diferente daquilo que ele é.O que o Mestre pode fazer?.O verdadeiro Líder ou Mestre pode ver além do que as aparência apresentam.Ele vê a tela em branco,e sabe do que ela  é capaz de revelar,e usa vernizes e tintas de matizes e cores variadas. O mestre procura estimular  e direcionar um aprendiz para um melhor fim,extrair dele o que existe de melhor nele mesmo


O pior é que os verdadeiros Mestres se foram,não se formam mais Mestres.Hoje,com raríssimas exceções,no máximo temos professores  que aplicam uma cartilha ideologizada ,um padre que aplica um catecismo truncado, um governo guiado por razões tendenciosas e  comprometidos com ESTABLISHMENT global, que não vê um homem,vê um contribuinte,um escravo desse establishment.O corrompem e o levam a cultivar valores que não os seus ou a formar valores estranhos a sua cultura e sedimentados ao longo da sua formação;destroem os costumes antigos, aviltam a ética ,ridicularizam o modelo de sociedade que se consolidou ao longo de gerações,querem impor casuísmos permissivos como normalidade inquestionável .Procuram confundir e  direcionar para onde querem.
Criam distorções nos seus marionetes,colocando uns contra os outros :verdes e  vermelhos ,divididos   com um propósito cruel : levar ao conflito e auto-aniquilamento. E o pior é que nesses tempos,ainda querem nos fazer crer ou legar a culpa ao sistema antigo de sociedade que cultuamos, que vivemos.Tem os formadores de opiniões na imprensa  a proporem soluções perversas,na a banalização dos costumes,onde procuram idolatrar a degradação do vício,dos trejeitos abjetos,nas aberrações repugnantes, querendo que aceitemos a sua ótica como o modelo ideal ,como se o que nos oferecem é o certo a ser elegido. Querem que pensemos que o nosso insucesso ou fracasso se deve ao modelo que vivemos.É  como  querer crer que aquele Pinus é a madeira ideal para envelhecer whisky,e o pior   é ver os comunista querem tornar as exceções em  regras que ilude aos menos cautos e os estimulam os instinto mais bestiais a gritarem mais alto,fazendo parecer crer aos  desavisados, que todos podem ser médicos,ou advogados,doutores ou empresários bem sucedidos,se não o são é culpa do sistema,da sociedade,e tem que cobrar ,a qualquer custo,desses.E é esse o grande engodo gramicista , divisionista macula a alma pura dos que aceitam tais devaneios, muitas vezes sem compreender ou questionar o seu propósito a cumprir na sua jornada,estabelecer o litígio e ruptura nas diferenças,aplicando a máxima:divide et impera.Não vemos a grama se queixar da magnitude da sequoia,à todos,indistintamente, são reservados os espaços e propósitos para  serem cumpridos.

Se se compreender esses parâmetros, metade da jornada estará cumprida e as teias das muitas Mayas que nos aprisionam, estarão desfeitas,e poderemos ver além dessas visões distorcidas e dos cantos das muitas sereias que  iludem e enlouquecem cada Odisseu presente no ser humano e infelizmente, aos poucos que Prometheus deu a Luz,veem essa diminuir de intensidade e brilho e novamente as trevas se avizinharem.turvando a visão dos que buscam

JATeixeira

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Escolhas: Luz e Trevas




Existe uma história que circula na Internet sobre um agricultor que distribuía as suas semente melhores e  premiadas  com os seus vizinhos.Indagado sobre essa sua conduta, ele disse que se os vizinhos plantassem sementes ruins, ele também seria penalizado,pois a polinização da sua plantação causada pela ação dos vento e dos insetos era responsável por sua boa colheita ou má colheita, e se, por outro, lado ele distribuísse com eles as suas boas sementes, ele se assegurava, para todos,de uma boa produção.

Assim também funciona com todas as nossas atitudes na nossa vida,se damos o melhor de nós,com certeza inequívoca teremos idêntico retorno.Se se tiver um bom pomar e os  vizinhos também o tiverem,pode até ser que teremos preços mais baixos no mercado ,como apregoam os mesquinhos e egoístas,mas com toda  certeza, além de uma polinização regular e saudável que irá favorecer a todos ,teremos o atrativo de assegurar um mercado interessado.Nem um mercado ou mercador irá se desenvolver com um único produto ou produtor.Assim também funciona para as escolas,para o comércio para qualquer atividade humana.Não há escolas porque não tem alunos e não tem alunos porque não existem escolas,e como quebrar o paradigma?Construindo escolas e os alunos irão vir,seja do interior,seja das cidades vizinhas e essas escolas trarão as universidades e a disseminação do conhecimento,deixando para trás o atraso,num eterno ciclo de desenvolvimento.


Trinta anos atrás aqui na nossa cidade entrava uma segunda grande Loja de Eletrodomésticos, vinda de outra cidade,que estava de olho no nosso mercado.Àquela ocasião,nós conversávamos com o proprietário da grande Loja da nossa cidade, que esbraveja de tão indignado com o fato,pois acreditava  caber no nosso mercado mais uma Loja.Eu o contrariei afirmando que seria melhor,isso possibilitaria escolhas e não unicamente isso,pois nas cidades vizinhas não existia nenhuma Loja de porte semelhante e que oferecesse o que eles ofereciam e portanto os compradores antes de procurarem um centro maior, com sempre o faziam, iriam ver que teria aqui também a possibilidade de encontrar o que procuravam,pois se não tivesse em uma, talvez encontrassem na outra.
Assim, tanto o bem quanto o mal são gerados e se desenvolve a partir de tal perspectiva,no caso do milho, a boa semente gera o bom fruto para o que semeou, e a polinização vai favorecer a disseminação desse pólen para os vizinhos e todos sairão bem sucedidos.No seu contrário, a má semente,levará a uma produção ruim e todos sairão perdendo.
Com os governos,as cidades,os países não é diferente.Vejam o desastre da Venezuela,Cuba,Colômbia,Coreia do Norte, caricatura de atraso, e do Sul desenvolvido e livre, entre tantos outros exemplos de sucesso e desenvolvimento.
  

.Alguns pensam ou desejam que se danem,não somos nós.Não veem que a mesma  que luz se difunde,pode ser eclipsada quando as trevas avançam.E somos nós o reflexo disso:nós  conduzimos a LUZ que ilumina o nosso caminho,cada um de nós recebeu de Prometheu uma centelha de luz,podemos cultivar e expandir ou apagar essa tocha e deixar  as trevas se estabeleçam.A difusão do bem e do mal está nas nossas mão,das nossa escolhas poderá resultar em redenção ou o caos.

JATeixeira




segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Os divisionistas




Os comunistas atualmente, como camaleão, se dissimulam com o neologismo socialista,palavra nova para conduta antiga, mentem tanto e passam acreditar nas próprias mentiras .Mas, mais tolo não são esses comunistas e sim  os ingênuos que os crêem ou os dissimulados que os divulgam;Muitos são  puros e acreditam por acreditar, não vêem o embuste travestido de bondade,a hipocrisia travestida de virtude,a verdade prostituída nos seus princípios.O dissimulado não, ele se alimenta dos sobejos que cai da mesa que o alimenta ou  que são atirados por esses  que enganam,corrompem e distraem enquanto avançam com sua mentiras torpes e saqueiam a seara dos tolos  embevecidos com promessas vãs .

É  preciso não quedar-se a esperar a bondade dos ricos ou do Estado,antes  devem fazer como os agentes da história abaixo,seja o Leão ou a Gazela é preciso correr atrás das suas realizações .

Toda manhã , uma gazela acorda. Ela sabe que tem que correr mais que o leão mais rápido, ou será morta.
Toda manhã , um leão acorda. Ele sabe que tem que correr mais rápido do que a gazela mais lenta, ou morrerá de fome.

O comunismo,cultuado por mentes decrépitas e senis na nostalgia e delírio embolorado das poeiras da história que não deu certo,quer nos fazer crer que:
-da atitude ingênua de esperar das classes dominantes,ele já procura nos separar em classes o que a própria natureza não o fez e acentua o litígio no discurso rancoroso e doentio de ódio de todas as nossas  diferenças, crendo ou apenas nos querendo fazer crer que se alguém dar alguma coisa ,seja a educação, não a dar por inteiro e sim para nos manter marionetes.Ninguém nos torna marionetes,senão nós mesmos.
Ingênuo não são os  que esperam e fazem alguma coisa enquanto isso ocorre ,trabalham,aprendem e aplicam o conhecimento como agente de transformação .Ingênuos são os que acreditam e se submetem a uma filosofia dos que apontam para engodo plasmado na hipocrisia da "menzogna"organizada.Nem toda madeira serve ao mesmo propósito.A importância  não está e apontar na diferença  e sim no próprio propósito que a natureza nos reserva.

A educação forja,o mestre apenas coloca o ferro no fogo e a bigorna da ação transforma o ferro em aço nobre...
A percepção não se dar por vontade do preceptor e sim pelo discernimento fomentado pela educação em si mesma ,que em cada um toca de maneira diferente e acende vocações não previsíveis. .O educando na arte da panificação pode desenvolver aptidão pela mecânica das maquinas ou pela engenharia transformativa na massa que sofre a ação de levedos e se desenvolve,ele também submetido aos fermentos do aprendizado desenvolve outros talentos ocultos ou adormecidos,outros atributos que o seu Mestre inicialmente não propôs e nem tinha previsto.A escola funciona como uma grande celeiro agrícola,o semeador coloca a sementes na terra e oferece as condições necessárias ao seus desenvolvimento o resto a natureza se encarregará.Viva as nossas diferenças e que elas nos torne melhores e que juntos resultemos no poder transformativo na sociedade em que vivemos.Que as nossas percepções se acentuem e aprendamos a excluir tais parasitas e  mentores do atraso que querem manipular e nos manter escravos dos seus modelos servis e anacrônicos.

JATeixeira

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Da Contestação



A Filosofia da Contestação


Aqueles que a pretexto de apagar o fogo, sopra sobre este.Ao invés de extingui-lo,inflama-o.
Nós acreditamos que o grande problema da filosofia dos que se opõe a alguma coisa, que difere dos seus princípios,de alguma idéia boa ou má ,não importa muito,mas principalmente as boas,pois o mal sempre se camufla,se mascara de bem quando quer atingir os seus objetivos,então a essência dessa filosofia reside na divulgação da boa fé que os alimenta e dos bons propósitos que os nutre,pois enquanto o bem repete os ardis que o mal usa, na vã tentativa de advertir dos perigos desse, passa, ao contrário a difundi-lo ,ao invés de execrá-lo.Assim esses, embora bem intencionados, erram  em repetir o discurso que  quer repelir,pensando talvez,quem sabe dali extrair  das causas e efeitos o indício dos contrários ou como desmascará-los,pois talvez acreditem que dissecando o problema e expondo as suas vísceras iremos descobrir a causa e o meio de combatê-lo.Ledo engano,  não é o fato de sabermos de que se trata da escuridão e a reproduzirmos nos seus traumas e seqüelas que vamos exauri-la,antes a fortalecemos com o seu método.Nós cremos, que  no momento que repetimos o que condenamos,estamos dando voz a  idéia que queremos combater,passamos a ser um apoio desejável aos malefícios que condenamos e que nos afrontam.Acreditamos que devemos difundir unicamente a LUZ,as trevas, por si só, já tentam nos obscurecer,não é preciso que nós a ajudemos nos seu trabalho de contraposição dessa  LUZ que perseguimos e que  orienta a nossa caminhada.

É como se diz :quem fala do mal,mais mal atrai.Pois:-“ quem mal pensa ,mal diz,quem mal diz,mal faz e quem mal faz, mal fim espere.”
Tínhamos um político famoso, ou ainda anda por aí,que ao ser entrevistado ou questionado sobre determinado assunto ,ele respondia com algo completamente adverso,se o jornalista lhe indagava das cheias e caos das enchentes, ele dizia que as obra do malha viária estava escondo e trazendo dividendos ao país,quando o jornalista retomava a palavra e refazia a pergunta,ele saia sempre com alguma evasiva,ele sempre se fortalecia tergiversando sobre os fatos questionados e questionáveis.
Pode parecer óbvio que muitas das nossas idéias se fortaleçam e ganhem corpo exatamente quando refutamos,pois aprendemos,como numa jogo  quais os próximos movimentos,mas cremos que nem todos podem trilhar nas sombras sem serem corrompidos;antes preferimos pensar que uma minoria ascende ,mesmo em detrimento dos que tentam impedi-los e que a grande maioria é influenciável e seguirá de maneira inglória a falsa generosidade que o mal mascara e ilude nessas benesses.Não é experimentando alguma droga,nem especulando ou citando os mais diverso tipos de malefícios ,pela mesma razão ,que encontraremos os meios de combatê-la ou  por saber do mal que ela causa.Por que devemos nos expor ao perigo de ser corrompido,traumatizado crendo que ser incólume,ou difundir os efeitos,sabendo ser deletérios de algo que condenamos?Não podemos nos arriscar a experimentar algo simplesmente para testar ou nos testar.Não correr o risco de  usar ou discorrer sobre um infortúnio por  sentir inexpugnável.Antes é preciso ter a cautela e  prudência para se afastar do horror,para não permear memórias às insanidades ou desperdiçar tempo inutilmente.
Os gregos encenaram e discorreram sobre muitas tragédias, e antes de falar da perversão na tentativa de combatê-la, elas foram e serão ainda difundidas e imitadas pelos incautos e traiçoeiros:víboras que rastejam  e se alimenta da ingenuidade e da bondade dos tolos.
Não é exibindo o caminho para a mesa de jogatina que combatermos o vício do jogo,não é apontando para os ébrios  que nos desviamos dos bares.
A bíblia tem em muitas de suas páginas história permissivas e repudiáveis,quem sabe querendo alertar dos perigos,mas muitas vezes ao invés de cumprir esse papel em reprimir como um  mal exemplo,ele  é exacerbado pela obviedade da prática corrompida ,que se entendemos que condena,a outrem pode servir de estimulo e difusão,ou seja em Davi e Betsabá,ou na embriaguez de Jó.Qualquer ato  de boa fé em vez de alertar,pode servir de estímulo e escola,onde poderia ser melhor a omissão do que  o proselitismo do mal exemplo seguido.A insanidade da metodologia cruel e doentia do tribunal do santo oficio,ainda hoje é copiada como uma doutrina na prática da tortura.

É preciso fugir sempre,se distanciar do “EGO” coletivo.Pois esse  é amorfo ,ele não tem “alma” nenhuma,ele é e não é ele mesmo,a turba é uma corrente de tendências sem nexo,sem forma, nem direção, é um senso verdadeiramente desconexo e paradoxal que causa, o que causa, simplesmente por causar,cujo principal propósito é não ter propósito algum,cuja a direção é não ter inicio nem fim,é semear o caos ,que aqui está simplesmente pra confundir.É preciso que sejamos vistos e que assumamos a nossa posição na vida como um indivíduo e não como parte de uma turba,mesmo que se afine e se identifique com alguém,ou com alguma idéia ali  presente,precisamos manter a nossa singularidade,pois antes da existência  do grupo existimos nós como individualidades,e é essa que comanda as nossas escolhas,é ela que nos confere a singularidade que somos.Quando passamos a nos alimentar ou ser retroalimentado de uma alma grupal perdendo essa singularidade,nos descaracterizamos como indivíduos nos alienamos e perdemos essa característica que nos torna únicos.

A beleza de tudo se resume exatamente em pensar diferente,pois somos diferente e nessas diferenças que se alinham na mesma direção se estabelece a essência e base da vida,e parte do propósito da existência,e a esses nos associamos na construção de um projeto  maior.Na sociedade que estamos inseridos,nos costumes,mas sem jamais abdicar ,nem que por alguns momentos de sermos nós mesmos.
Nós temos a nossa luz própria que é a nossa identidade e ela se revela de muitas formas,mesmo que seja por vezes nem sempre muito apreciáveis,mas  representa a nós mesmo,a nossa essência e não podemos abdicar de nós mesmo ,pois se assim o fizermos cairemos num vazio insondável e talvez do qual não poderemos jamais sair,se abrirmos mão da nossa caminhada desses passos, muitas vezes, desajeitados nos perderemos ou não poderemos voltar jamais ao caminho escolhido por nós mesmo.Muitos estão perdidos e alienados,não unicamente de forma política, estes estão idiotizados por conta de se esquecerem de quem são,de terem esquecidos de si mesmos, da sua individualidade,que como um adolescente que ainda não tem uma personalidade formada e assimila um modelo que elege, até se completar sua maturação e se tornar no que escolheu,e ser o que o resultou de toda a maturação do seu processo formativo.
Muitas vezes as deformações estão nos entulhos psiquiátricos, perturbações nem sempre  remediáveis  e que mantidas presas ao ciclo interminável e dependente de medicamentos e de analises que não revela nada,se não a própria extroversão do analista, que enxerga também de forma deformada ou sob uma perspectiva derivada de uma formação acadêmica ,modelo que também busca informações fora de uma realidade que não compreende e que não vê as entrelinha da própria perda da individualidade,dissociada do momento ou na escolha de uma realidade alternativa.

Qualquer discurso que façamos ou nos debruçamos sobre as coisas inúteis,tentando entendê-las ou dali extrair algum proveito,como a rosa que extrai do esterco o que lhe é útil,achamos um desperdício,pois assim estaríamos fazendo uma  mera apologia ao descarte final do esterco ou o que antecede a ele: a notória flatulência, que só é percebida quando se manifesta,Ou poderíamos nos indagar:oque resta do esterco,de cujo que já se extraiu a utilidade?Massa:pouco ou quase nada.Então do esterco em si mesmo,resta muitos componentes que podem contribuir para a produção das flores,agrícola,etc.Mas do descarte ,só aquela massa informe e sem mais nenhuma aproveitamento que se revele.Portanto falar do caos,pode gerar um caos ainda maior;o caos pode, no final gerar uma nova ordem ou o cosmos,mas simplesmente discorrer sobre ele,não leva a nada.Falar sobre a flatulência,que é o produto da fermentação do esterco, não resulta em nada a não ser poluir e causar repulsa e odor ruim,e isso não é pensamento orewliano do duplo pensamento que confunde  e sim a constatação do óbvio.Paramos a muito tempo de acreditar, ler ou tentar analisar e procurar algum vestígio de sanidade ou quem sabe até mesmo utilidade nesse tipo de paradoxo televisivo ou livresco.Desistimos,pois somos levados a crer que não comentando a coisa,ela por si só se extingue,pelo menos para nós mesmos,é como dizem: aqueles que cospem pra cima,acabam cuspindo no próprio rosto.Acho que é como se deveria proceder,pois se muitas vezes se diz que não vale uma lágrima,também acreditamos que não merece uma gota a mais de tinta,ou até que essa gota seria um desperdício.Ou ainda estaríamos preste a escrever uma ode a inutilidade. E se fossemos escrever uma elegia  as coisas inúteis ou que desprezamos, já estaríamos escolhendo e lhes conferindo um valor que não merecem.
O esterco pode até ser bem aproveitado,mas creio que não vale a  pena tentar extrair alguma coisa da flatulência.
O grande paradoxo está em que quando se compartilha qualquer tipo de pensamento ou ação que contrairia os nossos princípios, é que passamos a nos associar a idéia que tentamos combater,e ao invés disso estamos nos associando a sua difusão e não ao seu combate.

Torna-se imperioso não divulgar aquilo que não gostamos .O único modo de combater a escuridão a trazendo mais LUZ e não falando mal das trevas ou querer demonstrar como é ruim no escuro e suprimir a única luz que resta.

JATeixeira

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Dernière Dance








Dernière danse

Oh ma douce souffrance
Pourquoi s'acharner tu recommence
Je ne suis qu'un être sans importance
Sans lui je suis un peu paro
Je déambule seule dans le métro
Une dernière danse
Pour oublier ma peine immense
Je veux m'enfuir que tout recommence
Oh ma douce souffrance
Je remue le ciel le jour, la nuit
Je danse avec le vent la pluie
Un peu d'amour un brin de miel
Et je danse, danse, danse, danse, danse, danse, danse
Et dans le bruit, je cours et j'ai peur
Est-ce mon tour?
Vient la douleur.
Dans tout Paris, je m'abandonne
Et je m'envole, vole, vole, vole, vole, vole
Que d'espérance
Sur ce chemin en ton absence
J'ai beau trimer, sans toi ma vie n'est qu'un décor qui brille,
Vide de sens
Je remue le ciel le jour, la nuit
Je danse avec le vent la pluie
Un peu