quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Brucia la Terra





Testo siciliano
 
Brucia la luna n'cielu
e ju bruciu d'amuri
focu ca si cunsuma
comu lu me cori
l'anima chianci
addulurata
nun si da paci
ma cchi mala nuttata

Lu tempu passa
ma nun agghiorna
nun c'e mai suli
s'idda nun torna

Brucia la terra mia
e abbrucia lu me cori
chi siti d'acqua idda
e ju siti d'amuri
a cu la cantu
la me canzuni
si nun c'e nuddu
ca s'a affacia
a lu barcuni

Brucia la luna n'cielu
e ju bruciu d'amuri
focu ca si cunsuma
comu lu me cori 

(testo di Nino Rota




Brucia la luna in cielo   
e io brucio d’amore                          
fuoco che si consuma   
come il mio cuore         
l’anima piange               
addolorata                   
non si da pace               
che notte tormentata
                                              
Il tempo passa                       
ma non fa giorno                   
non c’è mai sole
se lei non torna

Brucia la terra mia
e brucia il mio cuore
che sete d’acqua lei
ed io sete d’amore
a chi la canto
la mia canzone
se nessuno
si affaccia
al balcone

Brucia la luna in cielo
e io brucio d’amore
fuoco che si consuma
come il mio cuore

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

A defesa do deficiente





Ele era  conhecido apenas como Francisco e tinha uma alcunha maldita: “Chico Mêi Cu”.
Isso ocorreu nos anos 20 na cidade de Fortaleza de Mathias Becker, onde um pobre deficiente físico, sem família , perambulava pelas ruas do centro, onde vivia de pequenos  biscates e da bondade de alguns que lhe davam  sustento.Muito quieto, parecia ignorar as zombarias desferidas  na  alcunha que tinha: “Chico Mêi Cu!”. Gritavam muitos:crianças e adultos.Foram anos de perseguição maldosas e destratantes .

Em ocasião, num ato de descontrole,ele atingiu a um desses, que o humilhava constantemente, com um golpe de um pequeno cutelo,levando-o a óbito  .Imediatamente foi preso e levado à cadeia pública, onde ficou aguardando julgamento. 

Ninguém se habilitava a defendê-lo,até porquê o morto era de família abastada e seria um vexame fazer uma defesa  já dada como perdida.Então, em sua defesa apresentou-se diante do Júri o renomado advogado Quintino Cunha. Após as acusações vigorosas da promotoria, que o acusava e mostrava a ameaça de um desequilibrado que podia, a qualquer momento numa investida, atentar contra qualquer um passante e  pedia pena máxima para o réu, o Juiz deu a vez da defesa, à qual Quintino deu início:

- Meritíssimo Juiz, Ilustríssimo Doutor Promotor, Respeitabilíssimos Jurados. Em defesa do acusado eu tenho a dizer que... (Pausa).

Após alguns segundos de pausa, ele repete:

- Meritíssimo Juiz, Ilustríssimo Doutor Promotor, Respeitabilíssimos Jurados. Em defesa de Francisco eu tenho a declarar que... (Nova pausa).

Após os novos segundos de pausa, ele torna:

- Meritíssimo Juiz, Ilustríssimo Doutor Promotor, Respeitabilíssimos Jurados. Em defesa de Francisco eu poderia falar que...

O Juiz irritado com tanta demora em iniciar a defesa,esbraveja:

- Mas quanta demora! O Senhor irá defendê-lo ou não?

Ao que Quintino Cunha replica:

-Vejam só,Sr Meritíssimo Juiz de Direito:Ainda não decorreu um minuto em  que eu tenho me  dirigido a vós,Excelência e a essa corpo de jurado e a essa audiência, de forma gentil e respeitosa, e já vos provoquei inquietação,ao ponto de quere me prender, por desacato. Agora,vos peço que  imagine Sr Meretíssimo Juiz,Senhores do corpo de Jurados e vós minhas senhoras e meus senhores que nos assistem, o que deve ter passado esse pobre homem, todos esses anos,após anos de zombarias e troças das mais vis,em agressões continuadas.

E continuando nessa linha de defesa onde o réu era uma vítima , Quintino Cunha com toda eloquência  convenceu aos jurados a dar-lhe absolvição.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Imagem&Devaneios




Um observador ao ver uma imagem qualquer:seja um paisagem, uma caricatura ou um por do sol  faz uma interpretação para si mesmo do que vê,o que significa,o que o inspira,etc.Mas,se essa imagem  vem acompanhada de um texto, como em uma publicidade:ele lê e entendendo ou não, muitas vezes fica por ali, nem prossegue mais nos detalhes do que viu,em uma análise interpretativa .Por outro lado se tal imagem não tiver texto,ele demorará mais tempo na visualização e consequentemente procurará extrair mais dados ou detalhes para facilitar a mensagem  visual que vê.



Sobre a imagem em questão:
Se se tratar de alguém ligado a psicologia,certamente dirá que falta sustentação,que o autor é volúvel por ter deixado o poste flutuante,além do que a imagem retrata.E isso é uma demonstração clássica de fuga,pois afinal as aves voam...e por aí vai ..
Se se tratar de alguém ligada as artes plásticas, se deterá no estilo,na escola.Interrogará se o pintor cursou “Belas Artes” ou se se trata de um amador.Irá estudar as perspectivas e traços do autor,as tonalidades do vermelho e cinza presentes,etc...ou  até ,onde ele irá expor ?? ?
Se se tratar de alguém ligado a ornitologia ou movimento ambientalista, dirá que se trata de aves em extinção e procurará criar um movimento das aves migratórias com grande apelo na mídia , igreja eclesiais de base,partidos políticos e fundará uma ONG com apoio e verbas governamentais.
Se se tratar de grafólogo procurará  ver a profundidade ou superficialidade do traço ,se é destro ou sinistro, se é jovem ou velho e muitos outro detalhes ligados a arte de analise grafológica.
Quantos aos esotéricos procurarão estudar  a numerologia e a simbologia presente e representativa .Dirão que a trindade localizada a direita da imagem,representada pelo as três aves, tem uma representação visível de estudos cabalísticos da árvore da vida e que o Uno a esquerda é uma representação clássica da visão do artista que demonstra sua fé irrestrita no Demiurgo.]
Os eternos amantes dos contrários procurarão ver as imagens como conspiração tendenciosa e internacional, que manipula a mídia com imagens subliminares, que sobrecarregam os nossos neurônios e passamos a aceitar tacitamente o que eles querem que vejamos.Esses contrários tem suas correntes em ambos pensamentos extrema-direita e extrema-esquerda,que se acusam mutuamente sem chegar a nenhum resultado:Bildenberg,HAARP e prosseguem...
A lista iria se alongar se continuássemos com tal determinação:o que diriam os bombeiros ,engenheiros elétricos e de tráfego e até crianças com um estilingue na mão ???


E  para  você o que representa essa imagem?? ?

Os amantes das transmissões verão simplesmente a presença de fio e ausência desse,eterno conflito entre o novo e o velho axioma da comunicação

Assim,é infinito as colocações que cada um projeta de si mesmo, para que como espelho veja a reflexão do que procura.

Bom Dia !
JATeixeira

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Sol Soleil Sonne Sole Sun Om Suryaya Namaha






Ao acordar, abra a janela, olhe o céu e contemple o firmamento.Inspire e expire lento e profundamente e se deixe envolver por toda atmosfera  de luz e brilho do sol.Imagine que o seu dia terá um brilho tão grande quanto o dele, porque você assim o deseja e  assim o quer.
 



E mesmo de olhos fechados,verá esse brilho com os olhos de seu interior ,  sentirá os reflexos dos seus raios refletidos na sua alma, pois ele absorve as nossas energias  e  irradiações,as purifica , potencializa e devolve. Por isso, pense no bem ,no amor,na  felicidade e terá tudo isso de volta amplificado; se pelo contrário pensar  em malefícios,invejas,traição terá isso de volta também aumentado, como resposta as suas evocações.
Somos energias do universo que se ampliam e se purificam com os bons ou com os maus pensamentos.
Bom Dia
Bongiorno
Bonjour
guten morgen
Dzień dobry
  

(Adaptado)

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Je crois entendre encore





"Quand je vois que je ne suis rien, c'est la sagesse.
 Quand je vois que je suis tout, c'est l'amour. 
Et entre les deux, ma vie s'écoule ! "
 Nisargadatta Maharaj


"Quando eu vejo que não sou nada ,é sabedoria.
Quando eu vejo que eu sou tudo,é o amor.
E entre os dois ,minha vida flui".



Je Crois Entendre Encore
Franck Porcel e Orquestra



 

Je crois entendre encore”, Ária  da ópera “Os Pescadores de Pérolas” (1863), de Georges Bizet.
Bizet,tinha  25 anos quando compôs  essa belíssima ópera lírica: Os Pescadores de Pérolas (Les Pêcheurs de perles).
Esta é uma historia  de amor,  rivalidades e ciúmes ,onde dois amigos, pescadores de pérolas , estão enamorados da mesma musa, que os olha mas não  deve amar a nenhum deles pois está  prometida a tornar-se  religiosa. No entanto,ela retorna a atenção somente a um e o outro possesso de ciúmes arma um complot, com o sumo sacerdote, para que tirar a vida dos dois amantes ;ele se arrepende,porque  quando  jovem,ela tinha lhe salvado  a vida.

E  a ária :Je crois entendre encore (Eu creio que ouço ainda),tem sucesso e passa a ser disputado por tenores famosos como Tito Schipa e Beniamino Gigli.No entanto nós preferimos na voz de David Gilmour.

Je crois entendre encore

Je crois entendre encore
Cache sous les palmiers,
Sa voix tendre et sonore
Comme un chant de ramier!
O nuit enchanteresse!
Divin ravissement!
O souvenir charmant!
Folle ivresse! doux reve!

Aux clartes des etoiles,
Je crois encore la voir,
Entr'ouvrir ses longs voiles
Aux vents tiedes du soir!
O nuit enchanteresse!
Divin ravissement!
O souvenir charmant!
Folle ivresse! doux reve!

Charmant souvenir! Charmant souvenir!

Ouçam aqui a interpretação de David Gilmour - Je Crois Entendre Encore

Eu creio que ouço ainda
Escondido sob as palmeiras,
Sua voz suave e sonora como um arrulho  de pombas.
O noite encantadora
Divino êxtase !
Lembrança encantadora!
Loucura inebriante! Doce Sonho!

A luz das estrelas
eu acredito que ainda a vejo
entreabrir as longas velas
Aos   ventos quentes da noite.
O noite encantadora
Divino êxtase
O’ lembrança encantador !
Ó locura inebriante! Doce Sonho!
Memórias encantadores ,memórias encantadoras!



quinta-feira, 24 de julho de 2014

Saudação





Líamos em  uma pagina  de “La Repubblica” considerações sobre a maneira de como nos saudamos ou nos cumprimentamos: (“Non c’ è peggior modo di salutare che dire SALVE, parola che, di per sé fredda e sgraziata, viene quasi sempre gettata, più che detta...”)-  Não existe pior maneira de cumprimentar à alguém do que usar SALVE,palavra que por si só é fria e desgraçada,vem quase sempre jogada,ao invés de dita...”tradução livre.
                             A imagem revela a saudação  articulada, elaborada e falsa



Nós acreditamos que o próprio étimo latino  salutāre,por si só já indica que desejamos saúde a outrem ,quando o cumprimentamos.Os latinos ainda  expressavam-se assim como quisesse exprimir um desejo profundo de almejar saúde,pois (salve)salvere significa dizer:esteja bem,com boa saúde,passe bem.Ainda hoje encontramos, com bastante frequência, pessoas de mais idade dizer quando se despedem:Passar Bem!
Mas,os rótulos,a mácula, o modismo das marcas que tingem... nem sempre  portam as cores felizes das tardes ensolaradas de primavera,muitos ou talvez pessoas rançosas joguem as palavras, com diz o articulista,cumprindo um mero ritual de civilidade ou um mal estar interior de uma noite mal dormida,ainda com hálito acre da pinga barata.

Não importa com saudamos à alguém.A melhor saudação pode nem ser dita.Muitas vezes  um olhar ,com olhos vívidos e brilhantes acompanhado de um sorriso, ou em outras,um  olhar meigo e carinhoso,para a bem-amada ,revela a “tenerezza”o que temos dentro de nós mesmos e é essa ternura  que usamos  para trocar.A saudação não é mais do que uma troca.Não é a palavra em si que  desagrada, é a maneira como ela é dita.A frieza não está na palavra .As palavras em si mesmas não tem nada.O tudo ou o todo portamos nós,está contido na singeleza dos nossos gestos ou  na rigidez do nosso coração ,que exprime a frieza e a dureza que ,vem de dentro,  atravessa as retinas e fulmina ou explode em alegria e melhora os nossos dias e dos nossos pares...
E na verdade, o que importa nisso tudo é o que nos revelamos nesse gestual simbólico de cumprimentar e  revelando o que nós somos e se outrem,a quem cumprimentamos, não encontra-se  bem no momento desse cumprimento, pouco importa.Nós estamos,exprimimos e manifestamos o melhor de nós mesmos e não devemos nos curvar  diante da insipidez e malevolência de outrem ,onde o que importa é o que  nós somos e não o que os outros querem nos tornar:  amargos e iguais a si mesmos. É preciso que se aplique a onde formos, as virtudes que temos aprendido, tanto na em elevação de templos a tais postulados que nos melhoram e nos evoluem,quanto nos opor tenazmente aos seus contrários,cavando-lhes masmorras e  enterrando no eterno esquecimento tais atitudes mesquinhas e de estranhas bizarrices.

Às vezes,as palavras podem ser  ditas com reserva  e acidez e quaisquer que sejam, até sobre o Amor,pode se revelar  em um  rancor mecânico e doentio.Quando éramos criança ouvíamos os velhos usarem essa palavra:SALVE.Para nós crianças,  a associávamos a vida e a morte.Quem está salvo?Do que ?Outros, usavam a sua correspondente latina Ave!Alguns outros, usavam Viva! Ou sua correpondente latina: vivat.vivat aeternum vivat !
Acreditamos que a melhor maneira de saudar a alguém é com um riso farto e franco   que nos aflora os lábios ,vindo de dentro dos nossos desejos não importando a palvra em si mesmo e sim a conotação dada,evoca,desejada e  que iremos exprimir seja Salve, Viva,Bom Dia,Olá  ou  simples e singelo Oi, onde o que verdadeiramente importa é  que esse sentimento se expresse e se revele de acordo com a frequência que é emitida e vibra dos acordes  mais profundos do  nosso coração!
Tenham todos um Bom Dia !

-”Ma,Salve tche! Te aprochega,índio véio!
”Puxa o banco e vai sentado!.
Pois enquanto a chaleira chia o amargo vou cevando”!*
*-do romanceiro popular  gaúcho
JATeixeira

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Antagonismos




No combate diário às forças que se opõem  aos nossos princípios e condutas e que determina e justifica uma ação a tais dissabores,sem considerar a mediocridade e a inveja que tem halo circunscrito, precisamos  avaliar três aspectos:

Pensamento.

Evitar de pensar neles ,pois o pensamento contém energia  que nos envolve em seu redemoinho e nos deixa submisso ou vulneráveis as suas ações ou seja dará mais força ao nosso oponente.Ele usa da nossa fraqueza para crescer,do nosso medo para se impor e da nossa sombra para nos dominar.

Na dualidade em que vivemos,embora os bons pensamentos nos mova,isso não significa dizer que o outro lado não exista .Não só existe,como tem força igual e contrária as nossas ações. Portanto, é preciso evitar de pensar o mesmo pensamento de energia maléfica que nos induz a segui-lo, potencializando-o.No momento que nos recusamos a seguir tais correntes,elas perdem parte de sua força,principalmente aquela que nos induzia a segui-la

Mas,se ao contrário dedicarmos muita atenção a tais pensamentos  malévolos: comentando com amigos,chorando e revelando as nossas fraquezas,eles nos arrastam  para o abismo de onde surgiram ,sugando-nos ainda mais.



Palavras.

Devemos evitar a externar tais pensamentos em palavras,quaisquer atos,idéias ou pensamentos eivado dos contrários à nossa boa índole,pois esses serão fortalecidos se nos debruçarmos sobre eles,pois toda eloquência que iremos imprimir para  fazer compreender tal ação, irá potencializá-lo.Diz Nietzche que, se olharmos durante muito tempo para dentro do abismo,o abismo olhará para dentro de nós

Por isso,jamais devemos avaliar , repetir   ou verbalizar esses  pensamentos.As palavras têm peso , duração e propagação, e no momento que as repetimos, o mal  aumentam a sua potência e raio de ação.É como estivéssemos evocando a essa entidade e nos tornando um sectário de sua doutrina.É preciso lembrar que a emissão das palavras vibram e essas se propagam em ondas e vão encontrar  adeptos somando-os ,e os  contrários que podem ser cooptados a segui-los ou refutá-los não lhes dispensando nenhuma atenção.Muitas vezes,de repente determinadas idéia nos ocorrem boas ou más.As boas devemos exaurir o seu conteúdo e tentar desdobrá-la e propagá-la ,enquanto as más devemos recusar a repeti-las  e nos submetermos aos seus dogmas.Se agirmos assim,estaremos sufocando-as,pois tais correntes são  energia, e se desligarmos os canais dos quais ela se alimenta, ela pára de se propagar e se extingue,como fogo sem oxigênio

Ação

As ações e reações presentes nesses confrontos sejam pertinentes ao bem ou ao mal,pouco importa qual a predominância ou direção,tanto para o mal ,como para o bem.Uma anula o outra.São energias que se contrapõem.Esse é o valor das orações.Não importa se se reza para Set  ou para Hórus.Os filhos da noite seguem a Set,enquanto os filhos da Luz  seguem a Hórus,em um equilíbrio ad eternum,Onde o que importa é a "fiducia", é sermos fieis aos princípios que nos guia,as razões que nos movem e a fé que nos sustenta.



Não existe diferenças no valor da oração,A diferença está em nós,nos nossos propósitos ,nos nossos corações:O mal evoca as trevas,o bem evoca a Luz.É preciso que façamos as nossas escolhas.Pois, o mal só se expande quando o bem se contrai e vice-versa.No momento que repetimos essas mantras,essas evocações ,elas se tornam mais poderosas e quantos mais pessoas se juntarem nessa ação para o bem ou para o mal a ação do vórtice de energia é maior.É preciso que nos purifiquemos com ações simples mais de valor eficaz :ignorá-los ou nos estimulando nos opostos,fazendo uma oração contrária.



Se alguém tem um comportamento malévolo que pode provocar e induzir àqueles que seguem a essa  provocação e cedem a  esses chamados, repetem  tais ardis  , se tornará um deles,ele terá vencido.É preciso se lembrar de que lado estamos nas nossas escolhas e que  repitamos o mantra do bem: energia que renova as nossas forças para enfrentarmos esses dissabores que todos,indistintamente, enfrentamos ao longo da jornada da vida

Pense nisso e alivie suas preocupações


JATeixeira